Busque por temas

Em alta

Por que estão falando tanto de… quit-tok

Por que estão falando tanto de… quit-tok

Muito distante do quiet quitting, a prática de publicar vídeos que mostram a própria demissão nas redes sociais ganhou popularidade entre a fatia mais jovem da atual força de trabalho. O quit-tok, trend que já soma muitos adeptos no TikTok, mostra como estamos diante de um novo perfil profissional – e um novo desafio para o RH.

Dicas sobre retórica e persuasão com Maytê Carvalho

A publicitária, professora e escritora compartilhou 'seu borogodó' de como mandar bem na comunicação

Luiza Terpins
1 de setembro de 2022
"Como você fala é tão importante quanto o que você fala": as dicas de Maytê Carvalho sobre retórica e persuasão
Leia emminutos
Voltar ao topo

Não é de agora que a publicitária Maytê Carvalho se destaca por suas habilidades de comunicação. Autora do best seller Persuasão – como utilizar a retórica e a comunicação persuasiva na sua vida pessoal e profissional, que acaba de ser traduzido para inglês, e do recém-lançado Ouse Argumentar, ela tem no currículo algumas experiências profissionais no mínimo curiosas: participou duas vezes do programa O Aprendiz (sendo vencedora de uma delas), fundou duas startups de beleza (Beleza de Farmácia e b.pass), alcançou o número 1 em downloads na App Store e conquistou investimento de Camila Farani no Shark Tank. 

Recentemente, fez mais mudanças profissionais: em 2019, trocou o Brasil pelos Estados Unidos para assumir cargos de liderança em agências importantes – foi Diretora de Estratégia da agência TBWA\Chiat\Day, em Los Angeles, e agora é Chief Growth & Strategy Officer da CUBO, em Nova York. De lá para cá, precisou se adaptar a um novo estilo de comunicação corporativo.

“Os americanos são mais orientados a perguntas e respostas simples (sim ou não?) e no Brasil nós costumamos fazer mais digressões ao expor nossas ideias e perguntas. As reuniões também costumam ser mais curtas (15, 30 min) e geralmente vêm acompanhadas de uma pré-leitura para que o momento da reunião seja de deliberação para além de exposição de ideias”, conta. 

A seguir, ela, que também é professora na ESPM e na Casa do Saber e Fellow researcher no Instituto de Tecnologia e Inovação de Berkeley Global Society, estreia a nossa seção Borogodó e compartilha três dicas de ouro para quem quer mandar bem ao se comunicar:

Entenda sua audiência

Cada meio e mensagem são diferentes para audiências diferentes. Quem se comunica da mesma forma para todos está apenas gerando ruídos. Entenda o perfil demográfico, psicográfico, e as nuances de cada perfil para estabelecer uma comunicação eficiente e assertiva.

Como você fala é tão importante quanto o quê você fala 

Ajuste a modulação, entonação e tom de voz para o teor editorial da sua mensagem. É uma mensagem de esperança? É um tom alarmista? sua voz precisa acompanhar o conteúdo, leitura de texto sem contexto não funciona.

Jamais termine uma apresentação com “é isso!”

Convide à ação: você quer investimento? Mentoria? Inputs? O outro não é obrigado a adivinhar sua agenda e sua intenção. Comunique e faça um convite à ação para encerrar suas apresentações. 

____________

Maytê, o que dá sabor à sua vida profissional? 

Fazer o que amo e ser recompensada por isso. Estudo, leciono, escrevo e trabalho com Comunicação. Amo me comunicar e acredito no poder da fala como agente de transformação da nossa sociedade.

Veja também: Lifelong learning: 6 dicas para aprender na vida adulta, com Leandro Herrera, CEO da Tera

Luiza Terpins é Editora de Cajuína e Líder de Conteúdo e Comunicação da Caju.